Indicadores & Estudo

Volume at Price: Uma técnica especial de uso do volume para identificar suportes e resistências


Um dos elementos mais importantes no entendimento do panorama técnico de um ativo é sem sombra de dúvida, a dinâmica do volume. O volume é uma medida do grau de comprometimento financeiro dos participantes do mercado com determinado nível de preço, o que por si só nos fornece informações importantes sobre uma série de fatores, tais como:


  • A força de uma tendência;
  • A relevância de determinado movimento de preços;
  • A probabilidade de uma reversão ou rompimento em um nível de suporte ou resistência.

Neste artigo vamos analisar uma maneira diferente de observar o volume. O método a ser descrito nos possibilita ter uma visão mais profunda de regiões importantes do mercado e que, usualmente, passam longe dos olhos da maioria dos traders.


O Volume como normalmente visto


Estamos acostumados a analisar o volume de um determinado ativo como na figura 1. Neste gráfico diário da VALE5, temos na parte inferior um histograma do montante financeiro negociado dentro de determinado intervalo de tempo.



Figura 1 - Volume como normalmente plotado


Assim, o volume é sempre expresso em função da variável tempo. Em um período diário, o volume dos negócios ocorridos no dia, em um período de 30 minutos, o volume de negócios ocorridos nesse intervalo e assim sucessivamente. Mas existe outra maneira, muitas vezes negligenciada e que pode trazer uma série de vantagens para o analista.


Volume at Price (VAP)



E se usarmos o preço ao invés do tempo como base para o volume? A resposta para essa pergunta dá origem ao Volume at Price (volume por preço ou em cada preço, em tradução livre). Essa ferramenta nos mostra quanto foi negociado em cada nível de preço individual, sendo uma maneira bastante distinta de observar o volume (fora do paradigma tradicional tendo o tempo como elemento central). A figura 2 mostra um exemplo do Volume at Price.




Figura 2 - Volume at Price na Hypermarcas (HYPE3)


Essa ferramenta é muito utilizada nos EUA, especialmente para day-trading e swing-trading. A primeira coluna (em cinza, figura 2) mostra em ordem os preços nos quais ocorreram negócios. A segunda coluna apresenta o volume de negócios em cada preço, que também é mostrado graficamente como um histograma disposto na vertical (barra verde). Quanto maior o volume em certo nível de preço, maior a amplitude da barra. Vamos conhecer melhor suas aplicações.


Identificando níveis importantes com o Volume at Price



Agora que já entendemos um pouco mais sobre a técnica, podemos estudar melhor as suas aplicações. Existem áreas importantes que o VAP nos apresenta, que muitas vezes não são detectadas de outras formas, e que podemos identificar com alguma facilidade:


  • Preço de referência de volume (PRV): trata-se do preço no qual ocorreu o maior volume. Esse nível pode ser facilmente localizado, ele é o ponto no qual tivemos a maior barra horizontal.


  • Regiões de alto e baixo volume: As regiões de alto volume (RAV) são as zonas de preços nos quais existem grupamentos de barras grandes (picos), enquanto que as regiões de baixo volume (RBV) são as zonas de preços nos quais as barras são relativamente menores (vales).


O preço de referência de volume normalmente estará imerso em uma região de alto volume. Esse valor significa um preço de consenso sob o ponto de vista do volume, e não surpreendentemente torna-se um excelente nível de suporte/resistência. Na figura 2, o valor de R$ 17,43 é o nível PRV.


A figura 3, por sua vez, apresenta um gráfico de 5 minutos da VALE5 na parte superior e o Volume at Price do dia em andamento. Observe no gráfico do VAP que o valor de R$ 39,40 é claramente o PRV. Ao analisarmos o gráfico dos preços, podemos ver que a região dos R$ 39,40 funcionou duas vezes como resistência, rechaçando o movimento altista que se formava e iniciando uma reversão. Esse tipo de informação de pontos relevantes no intraday é ainda mais forte se em um patamar similar de preços ainda convergirem outros sinais, como uma linha de tendência ou um nível de Fibonacci.




Figura 3 - VALE5 5 minutos e VAP


As regiões de alto volume, por natureza, são regiões com alta probabilidade de formação de suportes/resistências. Muitas vezes essa área é formada devido a uma alta atividade de investidores institucionais. Inclusive, pode-se destacar uma característica muito interessante ao se observar os preços sob este prisma: os preços parecem navegar de uma RAV para a próxima RAV (o exemplo na próxima seção ilustra esse fenômeno).


A verdadeira força de suportes/resistências


Vimos que RAVs são áreas de atrito, aonde os preços chegam e têm dificuldades em superar/romper. Nos vales (RBVs) ocorre o contrário, o ativo parece movimentar-se sem muita dificuldade. Não existindo posições tão fortes endossadas por alto volume, torna-se muito mais fácil para compradores ou vendedores empurrar os preços através dessas zonas.


Isso nos traz uma informação extra muito importante: um suporte/resistência marcado no gráfico através da análise de fundos/topos (por exemplo, dois topos subsequentes no mesmo nível) tende a ser muito mais facilmente rompido se está localizado em uma RBV, do que se estiver em uma RAV. Perceba como essa informação que o volume nos dá pode adicionar valor ao nosso plano de trade.



Figura 4 - Mercado entre duas RAVs na LIGT3>


No gráfico da Light (LIGT3, figura 4) vemos duas RAVs, uma em torno de R$ 20,72 e a outra próxima de R$ 20,60. Observando o gráfico dos preços (parte superior da imagem) vemos que esses níveis funcionaram como suporte/resistência, enquanto que na área dos vales (entre R$ 20,62 e R$ 20,70) o movimento fluiu com facilidade, sem encontrar obstáculos. Assim, o ativo movimento de RAV para RAV, passando com naturalidade pelas RBVs.


Observações finais


O Volume at Price fornece ao trader uma ferramenta que amplia o entendimento sobre pontos importantes do mercado. Esses pontos na maioria das vezes não são detectados pela análise única do gráfico dos preços.


O VAP pode auxiliar, entre outras coisas, em tarefas importantes como:


  • Detecção de níveis de suporte/resistência;


  • Análise de probabilidade de reversão ou ruptura (break out);


  • Entendimento da confiabilidade de um nível de suporte/resistência previamente traçado.


Conforme se utiliza a ferramenta, compreende-se de maneira superior a dinâmica: preço X volume dos ativos acompanhados.


Ótimas análises e negócios!


Equipe Nelogica




VWAP: Preço Médio Ponderado Por Volume Ichimoku e Heikin-Ashi

Fique por dentro do mercado financeiro assinando nossa Newsletter.


Rua Dr. Timóteo, 782.
Porto Alegre - RS, Brasil
(51) 3014-8272 comercial@nelogica.com.br
CNPJ: 05.898.757/0001-68

Carregando...