Indicadores & Estudo

Entendendo os Ajustes Técnicos e seus Impactos na Análise Técnica

Ter consciência da importância dos ajustes técnicos nos gráficos pode fazer toda a diferença para os analistas técnicos.


Em primeiro lugar, para um melhor entendimento, faz-se necessário revisar os conceitos dos principais eventos corporativos (dividendos, juros, bonificações, splits e grupamentos).


O que é dividendo?

Dividendo é uma porcentagem dos lucros de uma empresa dividida e distribuída entre seus acionistas - em forma de dinheiro e livre de imposto de renda. O imposto já foi descontado antes da distribuição dos lucros.


Sempre que forem distribuídos dividendos, as cotações desta ação terão este valor descontado do fechamento. Neste dia, se uma ação fechou, por exemplo, cotada à R$10,00 e foi pago em dividendo R$0,50 por ação, o valor de fechamento será alterado para R$9,50. No próximo pregão, R$9,50 será o valor de referência - sendo a cotação de fechamento do pregão anterior.


O que são juros sobre capital próprio?

O conceito de juros sobre capital próprio é muito similar ao de dividendo. A diferença fundamental entre dividendo e juro sobre capital próprio está na tributação.


Ao contrário dos dividendos, nos juros sobre capital próprio o acionista necessita pagar 15% de imposto de renda sobre o valor recebido.


O advento dos juros sobre capital próprio em alternativa aos dividendos da opções para a empresa no momento de tributar. Quando uma empresa decide pagar juros sobre capital próprio ao invés de dividendos - tem a possibilidade de contabilizar as despesas antes dos lucros, pagando menos impostos.


Sempre que forem pagos juros sobre capital próprio, o valor será subtraído da cotação de fechamento da sessão deste dia.


O que são bonificações?

Bonificação é um evento corporativo que ocorre quando uma empresa aumenta o capital social, incorporando as reservas. Quando isso acontece, são distribuídas, gratuitamente, ações para seus acionistas - proporcional ao número de ações que eles tem em custódia.


Já que a posição financeira não é alterada pelo evento, consequentemente, a cotação dos ativos é alterada após o fechamento.


O que é split (desdobramento)?

O desdobramento (split) ocorre quando uma ação é desdobrada - dividida em mais ações, aumentando o número de ativos em circulação. Quando acontece este evento, o investidor que, por exemplo, tinha uma ação cotada à R$100,00 - se o desdobramento for por cinco - o acionista receberá cinco ações cotadas à R$20,00 - não sofrendo nenhuma alteração no financeiro.


Os splits ocorrem para aumentar a liquidez do ativo. Se uma ação estivesse cotada à R$100,00 e o lote mínimo para negociação seja de cem papéis, seria necessário um montante financeiro de R$10.000,00 para negociar um único lote - montante bastante elevado que, por consequência, reduz a liquidez para estas ações. Já um ativo cotado à R$20,00 e, da mesma forma, o lote mínimo para negociação seja de cem ativos, seria necessário um montante financeiro de apenas R$2.000,00 para esta negociação. Com base no valor do fechamento deste dia é calculada a cotação de cada ativo após o desdobramento, servindo essa nova cotação como base à abertura da sessão posterior.


O que são os grupamentos (inplits)?


De forma resumida, grupamentos fazem exatamente o oposto de um split, sendo assim, um evento corporativo que junta as ações. Uma ação estando cotada à R$0,10 - após um grupamento de 10/1 passará à cotação de R$1,00.


Da mesma forma que os splits, os inplits são para elevar a liquidez. Neste caso, o fator decisivo é a volatilidade - em outras palavras, a mitigação relativa do risco. Se ocorrer uma variação de R$0,02 em um ativo de R$0,10 - esta variação equivalerá à 20%. Já num ativo cotado à R$1,00 - R$0,02 representa apenas 2%, opção menos arriscada ao investidor.


A cotação após o inplit é calculada com base no fechamento do pregão do dia do evento. Este valor é considerado como referencia à abertura da sessão posterior.


Por conseguinte, tendo os conceitos dos principais eventos corporativos revisados, pode-se perceber a importância dos ajustes nos gráficos. Em todos os eventos corporativos explanados, tem-se um resultado em comum: as cotações sofrem alterações após estes eventos!


O principal fator que deve ser considerado na análise técnica após os eventos corporativos é que essas alterações nas cotações, refletidas nos gráficos, não ocasionadas pela ação do mercado, podem distorcer totalmente o viés da análise. Facilmente, ao não estar atento para o evento corporativo que ocorreu, pode-se enxergar uma tendência de forma errônea, além de, consequentemente, os indicadores técnicos apontarem resultados não condizentes.


Considerações Finais

Os ajustes técnicos nos gráficos são essenciais após os eventos corporativos. Por meio desta tecnologia evita-se diversos problemas, tais como:

  • Distorção na identificação de uma tendência;
  • Distorção nos resultados das formulas dos indicadores técnicos;
  • A falsa ilusão do rompimento de importantes níves de suporte (após splits ou pagamento de dividendos, juros e bonificações);
  • Falsa percepção de breakouts em níveis de resistência (após os grupamentos).

Boas análises!




Análise Multimercados Cinco padrões de candlestick que todos os traders deveriam conhecer

Fique por dentro do mercado financeiro assinando nossa Newsletter.


Rua Dr. Timóteo, 782.
Porto Alegre - RS, Brasil
(51) 3014-8272 comercial@nelogica.com.br
CNPJ: 05.898.757/0001-68

Carregando...